Belo 29 Vezes Campeão Paraibano -
(Foto: Raniery Soares/ Paraíba Press/ FPF)

Belo 29 Vezes Campeão Paraibano - (Foto: Raniery Soares/ Paraíba Press/ FPF)

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Além de Dico e Djavan, outros 7 jogadores já estão confirmados no Belo para 2018


Magno está confirmando no Belo em 2018
(Foto: Cisco Nobre / GloboEsporte.com)
O Botafogo-PB confirmou na tarde desta sexta-feira uma lista com sete jogadores que já estão confirmados no clube para a próxima temporada. Além do volante Djavan e do atacante Dico - que foram emprestados a outros clubes até o fim deste ano, mas retornam para 2018 -, vão permanecer no Belo os seguintes nomes: os goleiros Edson e João Manoel, o zagueiro Walber, os laterais-esquerdos Luiz Paulo e Carlos Renato e os volantes Magno e Patrick Mota. Outros cinco atletas já tiveram suas rescisões de contratos confirmadas: os meias Roger Gaúcho e Cleyton e os atacantes Rafael Oliveira, Warley e Vanderlei.

Desde a últimas terça-feira - três dias depois de escapar do rebaixamento para a Série D -, a diretoria botafoguense tem conversado individualmente com cada jogador para acertar a rescisão de contrato ou a sequência do trabalho na Maravilha do Contorno. Até o momento, esses nove atletas foram uma base mantida deste ano para a próxima temporada.

Dico e Djavan, na verdade, seguem em atividade até o fim desta temporada. Eles foram emprestados ao Náutico e ao ABC respectivamente e vão ter pela frente a indigesta missão de ajudar seus novos times na fuga contra o rebaixamento na Série B do Brasileiro. As equipes são as duas últimas colocadas da competição nacional. Os outros sete - Edson, João Manoel, Walber, Carlos Renato, Luiz Paulo, Magno e Patrick Mota - devem entrar de férias antes do início da pré-temporada do Belo.

Dos cinco que já tiveram seus nomes desvinculados do Botafogo-PB - Roger Gaúcho, Cleyton, Warley, Vanderlei e Rafael Oliveira - apenas Rafael Oliveira, artilheiro do Belo na temporada, com 23 gols, já tem casa nova. Ele também foi para o Náutico, onde deve reeditar o ataque que o Alvinegro da Estrela Vermelha usou na Série C deste ano.

Através da sua assessoria de imprensa, o Botafogo-PB ainda informou que os demais jogadores ainda seguem negociando individualmente suas situações junto ao clube. Sérgio do Prado, que exerceu o cargo de diretor executivo ao longo desta temporada, encerrou o seu contrato com o Belo e já está em São Paulo, de férias. Ainda não se sabe se ele retorna ao clube para a próxima temporada.


Por GloboEsporte.com, João Pessoa

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Em 2017, o Botafogo-PB conquistou o Campeonato Paraibano e manteve calendário completo para 2018


(Fábio Fernandes)
O ano de 2017 foi um ano bastante difícil para o Botafogo Futebol Clube da Paraíba, apesar de ter conquistado mais um título de Campeão Paraibano e de manter seu calendário de competições totalmente preenchido para o ano seguinte.

Um ano que começou com um time considerado razoável para as disputas do certame estadual, contudo, insuficiente para poder acompanhar o nível da Copa do Nordeste. Fato esse que vem se repetindo nos últimos anos, em que o time do Botafogo-PB consegue sempre chegar nas finais do Campeonato Paraibano, mas, decepciona nos enfrentamentos da Copa do Nordeste.

A outra competição que fecha o primeiro semestre é a Copa do Brasil, que este ano apresentou uma nova fórmula de disputa, em que o time que joga fora de casa é favorecido com a vitória ou o empate para prosseguir na competição, sendo sumariamente desclassificado no caso de derrota, e foi exatamente o que aconteceu com o time do Botafogo-PB, que foi derrotado pelo desconhecido São Francisco do Pará, pelo surpreendente placar de 3 a 0, sendo eliminado jogando apenas uma única vez neste novo modelo de disputa da Copa do Brasil.

Para os jogos da Série C do Brasileirão 2017, a Fiel Torcida do Belo já ficou meio desconfiada com a montagem do Elenco, que não foi agraciado com nomes de destaque, conhecidos/renomados no cenário nacional do futebol.

Todavia, o apoio aconteceu, e a Torcida fez o seu papel, incentivando o time dentro e fora de casa, que chegou a corresponder em boa parte da competição, ocupando a zona de classificação por várias rodadas, até que o inexplicável aconteceu com os comandados do professor Itamar Shulle, que começaram a perder um jogo após o outro, dentro e fora do Almeida Filho.

Foi realmente inacreditável o que aconteceu com o time do Botafogo-PB, uma combinação de situações que não permitiram o time sair de campo vitorioso por várias e várias rodadas seguidas, com erros grotescos de arbitragem contra o Botafogo-PB, gols imperdíveis que foram desperdiçados por atletas bastante capacitados, falhas absurdas do até então bem postado sistema defensivo, falhas infantis do bom goleiro Michel Alves, enfim, uma verdadeira maré de azar poucas vezes vistas no futebol.

Sendo assim, a desesperada caça por culpados começou a acontecer por parte da Torcida, que xingou a diretoria o tempo todo, paralisou treinamento no CT da Maravilha do Contorno, colocou faixa de cabeça para baixo no Almeidão, gritou, pressionou e protestou sem parar, seja no estádio, nas redes sociais e imprensa de um modo geral, até que algumas mudanças começaram a acontecer, a primeira foi a troca de treinador, saindo Itamar Shulle, que esteve no comando do time em 91 jogos, somando 42 vitórias, 21 empates e 26 derrotas, para a entrada do Ademir Fonseca, que não conseguiu frear a queda livre o time na Série C e também foi substituído, pelo treinador das bases do clube, Ramiro Souza, que assumiu o Botafogo-PB nas duas últimas rodadas da primeira fase da competição, Botafogo-PB 0x0 ASA-AL e Sampaio Corrêa-MA 2x3 Botafogo-PB, resultados esses que combinados com a derrota do Moto Clube-MA para o Fortaleza-CE (1 a 0), na última rodada, conseguiram evitar o desastroso rebaixamento do time do Botafogo-PB para a Série D de 2018.

Passados os momentos de agonia nas Hostes Botafoguenses, com o time garantido na Série C em 2018, a primeira providência da diretoria foi a renovação de contrato com o atacante Dico, que permanecerá na Maravilha do Contorno para as disputas da próxima temporada.

No entanto, quais serão os outros dez nomes que irão defender o time estrelado da capital paraibana a partir de janeiro de 2018, quando o time estará disputando o Campeonato Paraibano e a Copa do Nordeste? No que depender da Torcida, apenas Dico e os pratas da casa deverão continuar defendendo as cores do Belo, no mais, o desejo é de que um treinador acostumado a atuar no Nordeste e nomes de verdadeiros bons atletas possam vir compor o esquadrão alvinegro da estrela vermelha já no início da próxima temporada, a fim de que o time não possa envergonhar mais uma vez a sua Torcida nas disputas da Copa do Nordeste.

Agora o tempo é de fazer sócios, procurar bons patrocinadores, apostar na Timemania, comprar produtos oficiais do clube, enfim, correr atrás de dinheiro para poder montar um bom time para a próxima temporada, porque de outra forma, o sufoco é garantido, e haja coração... Saudações Botafoguenses!!! 


Por Fábio Fernandes

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Ramiro deixa de lado partida do Moto e afirma: "O nosso papel em primeiro lugar"


Ramiro Souza (Foto: Cisco Nobre / GloboEsporte.com)
Botafogo-PB segue em preparação para a última rodada da primeira fase do Campeonato Brasileiro de 2017. E pressionado pela forte ameaça de rebaixamento, o treinador alvinegro tenta deixar o ambiente tranquilo e prega o discurso de que, antes de pensar nos outros jogos da rodada, o Belo precisa cumprir com a sua obrigação que é vencer o Sampaio Corrêa fora de casa. Vale ressaltar que, para se manter na terceira divisão em 2018, além da vitória em São Luís, a equipe botafoguense tem que torcer contra o rival do Sampaio no estado do Maranhão, o Moto Club, que visita o Fortaleza neste sábado.

Tratando novamente a partida como o jogo da vida do Botafogo na temporada, Ramiro Souza fala em utilizar todas as forças para vencer o líder do Grupo A em seus domínios.

- Quem faz o Botafogo hoje não queria ver o clube na situação que está. Queríamos estar classificados e já pensando na próxima fase. Mas a realidade é essa, muito delicada e difícil. O jogo de sábado é o jogo da vida de todo mundo do clube. Todos unidos nesse propósito de fazer o nosso papel e só depois torcer pelo outro resultado – declarou.

Na 18ª rodada da Série C, todos os cinco jogos do Grupo A acontecem às 19h30. Por causa disso, após o apito final no Estádio Castelão, em São Luís do Maranhão, vai estar ciente do que acontece no outro Estádio Castelão, só que em Fortaleza no Ceará.

Após o empate contra o ASA de Arapiraca no Estádio Almeidão pela 17ª rodada, os jogadores do Botafogo deixaram o campo muito vaiados pela torcida. Apesar disso, Ramiro Souza afirmou que todos os integrantes do clube tentam esquecer o que já passou e manter um ambiente otimista.

- Os jogadores estão tentando fazer a última semana de trabalho como uma semana boa. Estamos trabalhando com algumas situações para jogar fora de casa e vencer o adversário. É uma semana alegre, cheia de atividades e, por isso, todos os atletas querem jogar e salvar o Belo – disse Ramiro.

Para a partida contra o Sampaio Corrêa, o Botafogo tem pelo menos cinco desfalques. O zagueiro André Santos e lateral-esquerdo Alyson cumprem suspensão automática. Além dele, o volante Magno vai para o terceiro jogo da suspensão de quatro jogos imposta pelo STJD ainda pela expulsão contra o Remo.

Os outros dois desfalques são também na lateral esquerda. É que tanto Bruno Costa quanto Fernandes ainda se recuperam de lesões na coxa e não devem ir para o Maranhão. Enquanto isso, o volante Val deixou o elenco do Belo antes da partida decisiva. O jogador alegou questões pessoais para pedir o afastamento dos gramados.

Em meio a tantas incertezas, a possibilidade mais clara é na lateral, já que Carlos Renato é a única posição que está disponível pela esquerda. No entanto, Ramiro Souza não crava a escalação do jogador e mantém mistério para o time que vai entrar em campo neste sábado.

- É uma opção. É um atleta que não recusa as dificuldades. Mesmo numa partida complicada como foi contra o Remo, ele voltou e tem ajudado desde então. Estamos trabalhando com essa possibilidade e quem sabe ele não aparece neste último jogo – encerrou.


Por GloboEsporte.com, João Pessoa

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Atual temporada já é a pior campanha do Botafogo-PB em quatro anos de Série C


(Foto: GloboEsporte.com)
A ameaça do rebaixamento nunca esteve tão próxima na Maravilha do Contorno. O Botafogo-PB terminou a 15ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série C na sétima colocação com apenas 17 pontos conquistados e oito derrotas na bagagem. Desde que voltou a disputar a terceira divisão nacional, em 2014, o clube não havia protagonizado uma campanha tão abaixo do esperado. O alívio, em tese, para o momento delicado são as próximas duas rodadas nas quais o Belo recebe Confiança e ASA – adversários diretos na briga contra o descenso - dentro do Estádio Almeidão, em João Pessoa.

Curiosamente, no início da competição, mais precisamente até a quinta rodada desta edição, o Botafogo não só fazia a sua melhor campanha, mas possuía o desempenho mais bem-sucedido do estado da Paraíba nesse formato da Série C.

Foi justamente em 2014 que o Botafogo terminou a 15ª rodada com a melhor colocação. Naquela ocasião, o time do então técnico Marcelo Vilar, ocupava a segunda posição do Grupo A, com 24 pontos, e estava atrás apenas do Fortaleza, que terminaria aquela fase na ponta da tabela. Apesar do recorde pessoal de pontos, o Belo sofreu com o equilíbrio do grupo e terminou a primeira fase sem a vaga no mata-mata, com a amarga sexta colocação e 25 pontos somados.

No ano seguinte veio a temporada mais complicada do Botafogo até então. Com intensas trocas na comissão técnica e realizando contratações quase que em toda semana, o Belo disputou os 15 jogos e encerrou a rodada com 22 pontos na sexta colocação sob o comando de Ramiro Souza. A diferença é que naquele ano o Alvinegro já não tinha mais chances de rebaixamento devido as campanhas decepcionantes de Águia-PA e Icasa. Ao final da edição de 2015, os paraibanos ficaram com a mesma sexta posição, com 23 pontos.

Sob o comando de Itamar Schülle, no ano passado, o Botafogo encerrou a 15ª rodada com 23 pontos na terceira colocação. Aquele foi o melhor desempenho botafoguense na Série C e, ao final da fase de grupos, o Belo se classificou com a quarta melhor campanha do Grupo A, com 28 pontos e a terceira posição. O clube só foi eliminado nas quartas de final, após ser derrotado pelo Boa Esporte por 1 a 0 jogando em Varginha-MG.

Nesta temporada a pressão aumentou e o clube chega para as três rodadas decisivas com a campanha mais decepcionante desde então. São apenas 17 pontos somados e a sétima colocação. Vale ressaltar que no atual momento, o ASA é o lanterna do grupo com 12 pontos, e quem vem logo em seguida é o Confiança, com 16 pontos. No meio entre os clubes do Z-2 e o Botafogo está o Moto Club, com os mesmo s 16 pontos do Confiança.

Sob o comando de Itamar Schülle, em 2017 pela Série C, o Botafogo acumulou quatro vitórias, dois empates e seis derrotas. Com a chegada de Ademir Fonseca, o Belo venceu uma única vez e perdeu em duas oportunidades. Com um aproveitamento de 37,8%, o Alvinegro precisa vencer pelo menos dois dos três jogos decisivos para não sofrer mais sustos.

CAMPANHAS DO BOTAFOGO-PB NA SÉRIE C APÓS 15 RODADAS

ANOPOSIÇÃOPONTUAÇÃOAPROVEITAMENTO
20142453,3%
20152248,9%
20162351,1%
20171737,8%  

Apesar do risco real, o Belo ainda pode chegar a classificação. É que quatro pontos separam o time de João Pessoa do Remo, o quarto colocado com 21 pontos. E é justamente na classificação que Ademir Fonseca ainda acredita e falou após a derrota para os paraenses nesse domingo, por 2 a 1.

No desfecho do Grupo A da temporada 2017, o Botafogo vai receber o Confiança e o ASA no Estádio Almeidão nas 16ª e 17ª rodada, respectivamente, e encerra a sua participação diante do Sampaio Corrêa, no Maranhão.


Fonte: GE/PB

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Derrota no 1º tempo e sacode no vestiário: a primeira vitória de Ademir no Belo


Ademir Fonseca (Foto: Cógenes Lira / GloboEsporte.com)
Foram semanas complicadas na Maravilha do Contorno. Mas, após 51 dias sem vitórias, o Botafogo-PB voltou a vencer pelo Campeonato Brasileiro da Série C. A vitória veio justamente no primeiro jogo de Ademir Fonseca dentro do Estádio Almeidão como técnico alvinegro. Era o segundo jogo do treinador que, para melhorar o desempenho do time em campo, aumentou a carga de treinamentos e melhorou o ambiente interno do elenco. No entanto, o duelo contra o Moto Club, nesse domingo, foi de fortes emoções para o torcedor botafoguense que viu o seu time ir para o vestiário no intervalo perdendo por 2 a 1 para os maranhenses. E foi justo no intervalo que o treinador mudou a história do jogo.

Após o apito final, durante a coletiva, Ademir Fonseca contou como conseguiu motivar os jogadores a não sentir a pressão dentro de campo.

- Eu disse a eles que pior do que estava não tinha como ficar, Só nos restava manter a tranquilidade e jogar futebol - disparou Ademir.

A frase surtiu efeito. Os jogadores entraram pilhados. E viraram a partida em meros dez minutos de jogo. Ele analisa:

- O torcedor já vinha impaciente. Não estávamos jogando mal no primeiro tempo, mas tomamos dois gols, o que piorava a fase ruim e gerava desconfiança. Se tivéssemos paciência, empataríamos e viraríamos, que foi o que aconteceu. Essa vitória nos deu tudo isso, eleva a auto-estima e nos tira daquela situação incômoda – disse o treinador alvinegro.

Depois, ele diz que a mudança foi emocional. O time passou a acreditar que a vitória era possível e foi para cima:

- O mais importante é que o time foi paciente nos momentos em que as coisas ficaram difíceis. Foi uma mudança de postura emocional.

A vitória tirou o Botafogo da proximidade com a zona do rebaixamento. O Belo agora ocupa a sexta colocação, com 17 pontos, quatro a mais do que o Confiança, o primeiro clube no Z-2, e a três do Salgueiro, a primeira equipe dentro do G-4.

Apesar da vitória contra o Moto Club, a equipe de João Pessoa apresentou as mesmas falhas defensivas que tanto tem convivido nesta edição da Série C. Curiosamente, o gol de empate do Rubro-Negro saiu de uma cobrança de escanteio, do atacante Vinícius Paquetá. Por outro lado, foi o fim do jejum de gols para três jogadores do Botafogo. O mais pressionado era o atacante Rafael Oliveira, que marcou de letra logo aos cinco minutos do primeiro tempo. Os outros gols foram marcados pelo meia Roger Gaúcho e também pelo zagueiro André Santos, que marcou pela primeira vez com a camisa alvinegra.

Restando quatro rodadas para o final da fase de grupos, o Botafogo vai jogar duas vezes fora de casa e mais duas dentro do Estádio Almeidão. No próximo domingo, inclusive, o duelo é fora de casa, contra o Remo, no Estádio Mangueirão, em Belém do Pará. O Azulino não vence há três rodadas e não vive uma boa fase. Contudo, está na quinta colocação, com 18 pontos, um a mais que o Botafogo.

- É uma série de decisões que nós iremos viver. Cada resultado negativo trás um prejuízo enorme. Em contrapartida, cada resultado positivo, dar o benefício de buscar os que estão na parte de cima da tabela. O Remo é uma equipe muito perigosa, tem grande torcida e tradição no cenário do futebol brasileiro. Vamos respeitar como respeitamos todos os clubes. Porém, se quisermos alçar um voo maior, precisamos de ousadia no ataque e nos organizar na hora de defender – finalizou.

Após o aumento da carga dos treinamentos na semana passada, o time do Botafogo teve uma segunda-feira de folga. O elenco se reapresenta nesta terça-feira no Centro de Treinamento da Maravilha do Contorno.


Por GloboEsporte.com, João Pessoa

TIMEMANIA - APOSTE NO BOTAFOGO-PB COMO O TIME DO CORAÇÃO!


TIMEMANIA - Marque o Botafogo-PB como seu time do coração!!!